Sobre o EcoSilenzio

Tempo de despertar - desempenho acústico NBR 15575

Data e Hora  publicado em 03/06/2011 às 11:01

O poder aquisitivo é um fator determinante na criação de tendências de mercado e melhoria da qualidade de produtos e serviços, como consequência em geral, da melhoria na educação e maior acesso a informação. Vejamos o caso da construção civil. Num primeiro momento o importante era a família ter um teto, um lugar para morar. Posteriormente, buscou-se climatizar o ambiente por meio de ventiladores e então ar condicionado. Uma vez que se experimenta algo mais confortável e se tem informação e poder para acessar essas melhorias não se quer voltar a um padrão inferior. È nesse mesmo entendimento que pensamos também em relação a outras formas de conforto, entre eles, o acústico.

Em maio de 2008, foi lançada a norma de desempenho NBR 15575:2008 – Edifícios Habitacionais de até cinco pavimentos que definiu 13 exigências dos usuários relativas a segurança, habilidade e sustentabilidade. Sua cobrança, no entanto, seria realizada apenas dois anos depois. Ou seja, a norma ficou disponível por dois anos para ser estudada e para permitir que as construtoras e o mercado a testassem, adequando-se as novas exigências.

Todas as normas da ABNT possuem abrangência nacional e a Caixa Econômica já sinalizou que pedirá para que as construções sigam oque determina a norma NBR 15575 quando a liberação de novos financiamentos. Mas, o que se tem feito para saber se as nossas construções atendem ou não o desempenho acústico pedido?

O problema presente passa por soluções mais complexas do que apenas ensaiar em campo uma laje, ou uma esquadria, ou ainda uma parede e saber se atendem ou não a algum índice de desempenho. Os ensaios e desempenho acústico realizados em campo fornecem dados do tipo “atende” ou “não atende” a determinado índice, ou seja, não geram informações suficientes para uma análise critica do problema. Um ensaio deste tipo não é capaz de informar onde está o ponto fraco ou a virtude de um sistema construtivo. Para obter esse tipo de informação é necessário realizar vários e diferentes testes em diversas unidades similares para se ter uma massa de dados estatísticos e, então, começar a olhar de forma critica o que está acontecendo.

A Formação de grupos de estudo e analise parece o melhor caminho para resolver a questão. Assim, as construtoras disporão de dados técnicos consistentes para interferir e influenciar em discussões em âmbito nacional sobre a normatização na construção civil: e o consumidor terá uma garantia de que seu imóvel atende as exigências mínimas de conforto acústico.

Santa Catarina precisa e deve se unir para entender e atacar efetivamente o problema. Em março de 2012 a norma entrará em vigor e será cobrada de todos, conhecendo ou não onde estão as virtudes e limitações dos seus processos construtivos. È tempo de despertar e contribuir para o debate sobre o tema do desempenho acústico. Se nada for feito, teremos que invariavelmente nos adequar ao que foi definido por quem está estudando o assunto. Precisamos sair da zona de conforto e deixar de serem seguidores, para ser para ser participantes.

Fonte: entrevista com Engº Vitor Litwinczik (Revista CREA-SC Ano 6 - nº9 Maio/2011)

 

Tags Tags:  acústica conforto acústico desempenho acústico NBR 15575 ABNT norma de desempenho

0 comentário(s). Fique à vontade para comentar.










Tic topo

HOME  |  SOBRE O ECOSILENZIO  |  APLICAÇÃO  |  ECOBLOG  |  NBR 15575  |  FALE CONOSCO

Acital 30 anos ProAcustica

Twitter You Tube Flickr PDF RSS Feed

Créditos: Modena Design